MOEMA - Av. Miruna, 162 - (11) 2337-7908

( Próximo à estação Eucaliptos)

LAPA - R. Cerro Corá, 1073 - (11) 2389-5503 

(Próximo à estação Vila Madalena)

CHÁC. STO. ANTÔNIO - R. Verbo Divino, 147 - (11) 2594-9700

(Próximo à estação Alto da Boa Vista)

ESTACIONAMENTO PRÓPRIO NO LOCAL

Siga nossas redes sociais

  • Facebook Espaço da Audição
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn

©  2019 por Espaço da Audição

Posts Em Destaque

Réveillon da Avenida Paulista terá fogos sem barulho pela primeira vez

December 28, 2018

Fogos sem estampidos, que produzem apenas efeitos visuais, continuam permitidos Foto: MAIRA VIEIRA/ESTADAO

 

A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta terça-feira, 4, que para a queima de fogos durante os shows de réveillon na Avenida Paulista, no centro, usará apenas artifícios de efeito visual, sem estampido. Os rojões com barulho não serão usados em respeito à Lei Municipal 16.897/18, aprovada pela Câmara Municipal neste ano, que proíbe fogos na capital.

 

A gestão Bruno Covas (PSDB), entretanto, ainda não tem detalhes da festa: questionada pelo Estado, não informou qual empresa fará o espetáculo visual, quanto ela custará, como será contratada nem se essa modalidade seria mais cara ou mais barata do que os fogos de artifício comuns.

 

A proibição é para uso, manuseio, queima e soltura. O objetivo da regra é proteger idosos, crianças e pessoas com deficiência que podem ter mal-estar diante dos barulhos. Mas o apoio maior à mudança veio de grupos de defesa dos animais, uma vez que cães, principalmente, se assustam com o estouro dos artefatos.

 

Embora tenha sido votada e sancionada neste ano, a legislação não está valendo. Mesmo com a derrubada, em setembro, de uma  decisão liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que anulou os efeitos da lei, atendendo a pedido do Sindicato das Indústrias de Explosivos do Estado de Minas Gerais (SindiEMG), a proposta ainda não foi regulamentada pela administração municipal, o que impede a fiscalização. 

 

O sindicato havia ingressado com Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), argumentando que há leis estaduais e federais regulamentando os fogos de artifício e a legislação municipal não poderia passar por cima delas. O tema também é debatido em outras cidades. A lei ainda não foi regulamentada. 

 

Fonte: sao-paulo.estadao.com.br

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Pedro Neschling revela usar aparelho auditivo há 4 anos: "praticamente não escuto"

October 7, 2019

1/5
Please reload

Posts Recentes